Comercial e Águia dominam a Seleção Retranca da primeira fase do Estadual

Após 66 partidas, a primeira fase do Campeonato Estadual acabou e as quartas de final foram definidas.

O Operário encara a Serc; o Águia Negra encontra o Costa Rica; o Sete de Dourados duela com o Aquidauanense; e o Comercial mede forças com o Corumbaense.

O Retranca aproveita o fim dos pontos corridos para já escalar sua Seleção, baseada apenas nos jogos que o blogueiro viu. Portanto não se espante se não encontrar ninguém da dupla de Dourados, Sete e Operário-DD, ou do Costa Rica.

O único critério adotado para escolher os onze melhores e o treinador foi a observação in loco das seguintes partidas:

Comercial 2 x 0 Serc (1ª rodada);
Operário 2 x 0 Corumbaense (1ª);
União/ABC 1 x 1 Comercial (2ª);
Comercial 1 x 0 Urso (4ª);
Novo 2 x 2 União/ABC (4ª);
Operário 3 x 1 Comercial (5ª);
Comercial 1 x 0 Águia Negra (6ª);
Operário 3 x 0 Serc (6ª);
Operário 1 x 1 Aquidauanense (8ª);
União/ABC 0 x 1 Águia Negra (9ª);
Comercial 1 x 0 Corumbaense (10ª);
União/ABC 1 x 3 Operário (11ª);
Novo 2 x 3 Serc (11ª).

Aqui vão os selecionados:

seleçao retranca

Goleiro: Rodolfo (Comercial)
A única escolha fácil. Em uma equipe bastante instável, Rodolfo se sobressaiu e decidiu partidas para o Comercial. Sua atuação na vitória sobre o Águia Negra consistiu na melhor performance individual de um jogador neste Estadual, com pelo menos quatro defesas dificílimas. Teve papel fundamental também nos triunfos sobre Sete e Corumbaense.

Lateral-direito: Gugu (Águia Negra)
Aqui também poderia entrar o interminável Robinho, do Aquidauanense, mas vamos de Gugu para variar um pouco e premiar a regularidade. O ala foi bastante acionado na saída de bola durante as partidas do Águia que acompanhei, quase sempre seguro. Tem bom apoio no ataque e marcou um belo gol na vitória sobre o Operário.

Zagueiro 1: Virgulino (Águia Negra)
Mais um que merece pela regularidade, além de fazer parte da defesa menos vazada do campeonato (ao lado do Comercial), com dez gols sofridos. Lidera o setor defensivo da equipe que melhor jogou futebol nesta primeira fase. Vai bem no jogo aéreo.

Zagueiro 2: Baiano (Aquidauanense)
A coisa foi tão feia na primeira fase que o volante Baiano será improvisado na zaga da Seleção Retranca. Ele jogou nesta posição, inclusive no empate com o Operário, quando  marcou de pênalti. Jogou também com a camisa nove nas costas em algumas oportunidades. É o artilheiro do Aquidauanense no Estadual, com 5 gols.

Lateral-esquerdo: Da Silva (Operário)
Se não tem tu, vai tu mesmo, Da Silva. Lateral-direito de origem, o jogador também atua do outro lado, como em diversas partidas pelo Operário nesta fase. Apóia muito bem, com velocidade, e não compromete na defesa, além de somar experiência ao time. Revezou a posição com Gerson, que não convence como titular.

Volante 1: Danilo (Comercial)
Uma das boas surpresas deste Estadual. O camisa 8 do Comercial tem excelente chegada na frente, visão de jogo, bom passe, deu assistências e já até marcou gol. A conta do pouco tempo de preparação para o campeonato chegou e Danilo se lesionou na reta final. Se recuperado, pode voltar a desequilibrar no mata-mata.

Volante 2: Lucas (União/ABC)
Principal jogador do rebaixado União/ABC, equipe que não soube traduzir em resultados o bom desempenho em praticamente todas as partidas. Jovem, Lucas é bastante intenso durante os 90 minutos. Dinâmico. Busca o jogo, organiza as investidas ofensivas e também distribuiu suas assistências.

Meia 1: França (Comercial)
Outro destaque do Comercial, França está na Seleção Retranca porque desequilibrou em jogos complicados. Marcou o gol do triunfo sobre o Corumbaense e fez a jogada que originou o gol de Vandinho na vitória sobre o Águia Negra. Embora hesite na hora de finalizar o que cria, seja passando, seja chutando, o meia-atacante compensa com explosão, velocidade e drible.

Meia 2: Salomão (Águia Negra)
Com 9 gols no Estadual, Salomão é a cabeça-pensante do Águia Negra – não à toa veste a camisa 10. Como todo o time do técnico Rodrigo Cascca, o atleta se movimenta bastante, cria e encontra espaços, e vai buscar a bola no pé do volante quando o jogo pede. Tem uma canhota precisa.

Atacante 1: Romarinho (Corumbaense)
Romarinha já soma seis gols no torneio e foi um dos responsáveis pelo crescimento do Corumbaense após os tropeços nas primeiras rodadas. O camisa 9 se mexe bastante dentro e fora da área e, por isso, é frequentemente acionado pelos companheiros. Como bom atacante, não se avexa em finalizar quando a bola chega.

Atacante 2: Guilherme (Águia Negra)
Ter Guilherme é meio caminho andado na direção de um ataque efetivo. Artilheiro dos Estaduais de 2014 e 2016, o jogador voltou a se destacar com a camisa do Águia Negra e já balançou as redes 7 vezes. Sabe fazer o papel de centroavante, com bom jogo aéreo ofensivo, e também sai da área para buscar uma tabela.

Treinador: Rodrigo Cascca (Águia Negra)
Como já dito, o Águia Negra foi o time de melhor performance nesta primeira fase. Méritos para Rodrigo Cascca, que soube montar seu time de modo a explorar ao máximo as principais características de cada atleta. De estilo ofensivo, o professor gosta de ver sua equipe controlando as partidas, acoando o adversário com muito volume de jogo.

frança e virgulino - jonesmario-retranca

Zagueiro Virgulino na cola do meia França (Foto: Jones Mário/retranca.blog)